PRINT

Informamos que foram publicados hoje os seguintes editais:

» Edital Nº 5/PROPG/2019 – Para classificação de candidatos(as) às cotas de bolsas remanescentes de Doutorado Sanduíche

» Edital Nº 4/PROPG/2019 – Para classificação de candidatos(as) às bolsas remanescentes Professor Visitante no Exterior (Júnior/Sênior)

Editais – PRINT

 

Título Edital de Capacitação para Cadastro Reserva 

http://propg.ufsc.br/files/2018/12/EDITAL-DE-CAPACITA%C3%87%C3%83O-PROPG.pdf.

 

I Seminário Internacional de Educação Interprofissional em Saúde no âmbito do Subprojeto PrINT/CAPES/UFSC/PEN

Em 17 de maio de 2019, foi realizado o I Seminário Internacional de Educação Interprofissional em Saúde no âmbito do Subprojeto PrINT/CAPES/UFSC/PEN, no Centro de Ciências da Saúde da UFSC, contando a participação de 115 interessados na temática. As atividades foram iniciadas com a composição de uma mesa oficial de abertura, momento em que a profa. Alacoque Lorenzini Erdmann saudou os presentes contextualizou a importância do projeto de internacionalização na UFSC. Confira a seguir uma breve síntese das atividades do seminário.

Palestra: Educação Interprofissional em Saúde: desafios e perspectivas

Claire Anderson: é farmacêutica, PhD em Promoção da Saúde, professora de Farmácia Social na Faculdade de Ciências da Universidade de Nottingham e membro da  International Pharmaceutical Federation Global Pharmacy Education Development Team. Em sua fala intitulada “Needs based education and interprofessional education”, a professora contextualizou a desigualdade na oferta de serviços de saúde entre as populações em função de questões econômicas, enfatizando a aposta na Atenção Primária à Saúde com foco na prevenção e promoção da saúde com o acesso de todos a profissionais qualificados e comprometidos. Para formação desses profissionais com pensamento crítico, ético, sustentável e condizente com as necessidades sociais, discutiu a educação baseada em necessidades (needs based education), uma formação direcionada às necessidades locais, socialmente responsável, globalmente conectada e com qualidade. Exemplificou experiências educativas interprofissionais nos cursos de graduação da faculdade em que atua, como a oferta de disciplinas em comum entre os cursos, usando a aprendizagem baseada em problemas. Ao final, analisou algumas das potencialidades e dificuldades da educação interprofissional, destacando como pontos positivos o aprendizado do trabalho em equipe, a comunicação entre os pares, a comunicação com os pacientes e o compartilhamento de valores relacionados à ética profissional.

Mesa redonda: Convergindo perspectivas para uma educação interprofissional em saúde.

Francisco Esteban Bara: pedagogo, doutor em Educação e doutor em Filosofia, é professor Catedrático de Filosofia e História da Educação da Faculdade de Pedagogia da Universidade de Barcelona. Participa do GREM – Grupo de Pesquisa em Educação Moral. Sua produção acadêmica abordando especialmente temáticas em torno da educação moral na formação universitária. “A ética nos leva ao coração”.  Foi com esta mensagem que encerrou sua fala na mesa, onde abordou o tema “Potencialidades da Formação Ética na Universidade Contemporânea”. De acordo com o professor, as palavras formação e universidade remetem a uma potência e possuem estreita inter-relação entre si e com a ética, de modo que a Universidade não pode apenas afetar ou escutar uma ética circunstancial emergente, mas deve torná-la um verdadeiro acontecimento. Para ele, a “Universidade como acontecimento ético” deve ser indissociável de quatro características particulares: o comprometimento do universitário com aprender coisas; a compreensão da  utilidade do inútil; a humanização das profissões formando pessoas íntegras, cidadãos competentes e profissionais qualificados; e o incentivo dos universitários a viver como “buscadores” de conhecimentos sobre tudo: coisas, verdades, virtudes… essa seria a fórmula que leva a ética ao coração.

José Luis Medina Moya: enfermeiro e pedagogo, doutor em Filosofia e Ciências da educação, é Professor Titular do Departamento de Didática e Organização Educacional, da Faculdade de Educação da Universidade de Barcelona, no Departamento de Ensino e Organização Educacional. Coordena o grupo de pesquisa FODIP – Formação Docente e Inovação Pedagógica. Em seu trabalho acadêmico tem uma expressiva produção científica abordando especialmente temáticas em torno da educação superior, da formação docente e metodologias de ensino. Em sua participação na mesa redonda, por videoconferência, o professor Medina falou sobre a “Formação docente para a educação interprofissional em saúde”. Contextualizou os desafios que ainda persistem no âmbito da formação docente, sob influência de epistemologias disciplinares essencialmente reducionistas e fragmentadoras, de viés positivista. Apresentando o “paradigma da complexidade”, discutiu a necessidade de se romper a barreira do reducionismo positivista na formação docente em saúde, sendo a práxis interprofissional uma importante estratégia nesse sentido

Profa.  Jussara Gue Martini: enfermeira e doutora em Educação, é professora Associada do Departamento de Enfermagem e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSC. Participa do EDEN – Laboratório de Pesquisa e Tecnologia em Educação em Enfermagem e Saúde, atuando especialmente no campo da formação profissional e docente. Em sua fala sobre a “Educação Interprofissional como estratégia de inovação em saúde”, problematizou a importância do trabalho interprofissional em saúde, inclusive para o SUS. Indicou a natureza complexa da atenção à saúde, sendo a lógica de trabalho interprofissional capaz de reduzir erros profissionais, riscos e custos do trabalho em saúde. Destacou a congruência entre as bases teóricas da educação interdisciplinar com a proposta ideológica do SUS, todavia, ressaltando que o mesmo ainda não se efetiva na prática cotidiana de trabalho profissional como preconizado pelas diretrizes conceituais. Salientou a necessidade de se rever as bases curriculares dos cursos em saúde, superando a ênfase de educação conteudista e da tendência de separação entre as áreas, sendo um importante desafio superar o “encastelamento das áreas de saber”.  Ao final, discutiu o tensionamento entre as possibilidades e desafios da educação interprofissional, salientando as atitudes que devem ser encorajadas entre os profissionais da saúde em formação, como a aprendizagem dos métodos interativos de trabalho e de trabalho grupal pautados na criatividade e na flexibilidade.

 Lançamento de livros – Prof. Francisco Esteban Bara

– ESTEBAN, F.; BEGOÑA, R. ?Quo Vadis, Universidad? UOC: Barcelona, 2016.

– ESTEBAN, F. Ética del Professorado. Herder: Barcelona, 2018.

– ESTEBAN, F. La universidad light: un análisis de nuestra formación universitária. Paidós Educación: Barcelona, 2019.